Falar da minha Terra Natal Por favor deixe seus comentários

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Maré vivas na praia de Porto Santo

No Porto Santo,as correntes marítimas  atingem maiores velocidades nas marés vivas,correndo dos quadrantes S durante a enchente,e do quadrante NE durante a vazante.Fazem-se sentir principalmente na Ponta S do Ilhéu  de Cima onde as águas correm para NE, em marés vivas,com a velocidade de 1 milha durante a enchente,e com a de 1,5 durante a vazante.Na Ponta  do Ilhéu de Baixo,durante a enchente,correm para W ou E a velocidade de 1 a 1,5 milhas,e para S W com a velocidade de 1 milha em marés vivas,durante a vazante.Estas marés produzem,por vezes,inesperadamente,fortes e traiçoeiras fluxos e refluxos nesta Ilha.Durante a enchente,principalmente no mês  de Agosto,inundam momentaneamente a praia  na sua maior largura e alargam-na quase no dobro durante  a vazante.fazendo uma linda praia onde seus banhistas podem estar a vontade.Espreguiça-se então o mar lentamente numa superfície de uma espuma encantadora,deixando por fim a descoberto à boca  da maré uma espaçosa avenida de extensão de cerca  de oito quilômetros,de piso duro,uniforme e suave,acessível a seus grandes passeios,de mota,bicicleta e até carros,por o piso ser muito duro.O que não acontece por a praia ter suas regras.A minha linda praia onde eu era livre,de nadar,correr,e amar o mar.
É linda a praia da minha terra Natal.


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Datas Históricas.



D. Duarte
1433(26 de Setembro)-----O Rei D. Duarte de Portugal faz doação do arquipélago ao Infante D. Henrique quanto ao temporal,e à Ordem de Cristo «para todo o sempre o espiritual das novas Ilhas da Madeira ,Porto Santo e da Ilha Deserta»
Infante D. Henrique.

1446(1 de Novembro)-----Doação da Capitania do Porto Santo a Bartolomeu Perestrelo.
1556(2 de Outubro) -----Os huguenotes,em número de cerca de 1.200 homens,dão saque à Ilha de Porto Santo,e a três do mesmo mês desembarcam na Praia Formosa e saqueiam o Funchal,por espaço de dezasseis dias,capitaneados por Bertrand de Montlue,gentil-homem da casa do rei Carlos IX de França.


Rei D. Carlos de França
( 5 de Fevereiro) ----Uma esquadra turca,composta de 12 navios,que cercava o Porto Santo com o fito de o saquear,bate em retirada ao ouvir o estrondo dos canhões e mosquetes saudando a aclamação de D.João IV, por suporem os turcos tratar-se dum ataque aos seus navios.Onde anda todo o património de Porto Santo.Será que seus Habitantes não têm curiosidade  em sabe ,pois pertence á nossa Terra Natal.E nem tudo foi os piratas que levou.
A esquadra de 12 navios turcos.
1832(3 de Abril )---Chega ao Porto Santo com tropas constitucionais a escuna «Terceira »que fazia parte da divisão naval comandada pelo Vice-Almirante Sertório Saturíus incumbido de se assenhorear daquela Ilha e da Madeira,sendo logo mandada arrear a bandeira realista do forte de São José,para evitar complicações.No dia 4 desembarcaram as tropas constitucionais e ocupam a Ilha até 25 de Maio em cuja data seguiram para os Açores com 104 madeirenses,para ajudarem a combater o governo de D.Miguel I.
D.Miguel I

Punição

mesmo assim,assumo culpa!
de tudo que acontece,
será que tenho culpa.
De tudo que aparece.

Não tenho medo,de ser julgada
porque foi feita assim,
sou sempre condenada.
A culpa é sempre em mim.

Nunca vou com intenção,
de magoar ninguém
tudo que digo,têm punição.
Será que terei perdão.

Só peço o meu perdão,
de tudo o que acontece,
se o erro que cometi.
Têm punição,ou esquece.


domingo, 30 de novembro de 2014

domingo, 16 de novembro de 2014

boca fechada

Poema à boca fechada


Não direi:
Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.

Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas.

Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais bóiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.

Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.
José Saramago

sábado, 15 de novembro de 2014

Dois

Dois terços do Mundo  era Português onde a minha Ilha Porto Santo arquipélago Madeira foi a primeira a ser descoberta,onde anda hoje esses dois terços .Quase digo quase porque devemos estar pior e eu não vejo, vivemos de esmolas e de glutões e dizem o passado já foi.Que lhes dará o presente?

domingo, 9 de novembro de 2014

grão

De grão ,a grão te conheço
como a palma da minha mão,
quando me lembro estremeço.
Por não te pisar o chão.
**
Por não te pisar o chão
pois estou longe,e ausente
ausente por obrigação
mas estás no coração.
Como se estivesses presente.
***
Como se estivesse presente
ninguém diga algo de ti,
que abrirei minhas garras.
E responderei por ti.
felizarda.d.f.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Minha Terra

Minha Terra com chaves abri,
lugares vivos e boa gente
para o Campo,comi e bebi,
para o sul,vendo e olhando
bebi vinho e iguarias.
Paisagem linda e praia vi,
nesse Porto Santo que me perdi.
felizarda.d.f

A noite vêm poisando devagarinho!
sobre a terra,com muito carinho,
se sente a noite adormecer.
Onde a lua ilumina esse ser.

Uvas
Quando havia a vindima!
e nós pequenos a ver,
e ficávamos desejosos.
De um cachinho comer.

De um cachinho comer ,
de um cachinho provar
só quem tinha era senhor.
E não gostava de dar.

E não gostava de dar,
nem um bago para provar,
e nós nada dizíamos,
só ficávamos a olhar.

Só ficávamos a olhar,
mas nos ficou na ideia,
um pequeno cacho de uva.
Que vinha de uma parreira.felizarda.d.f.


Quando começo a escrever!
é me difícil parar,
com tanta recordação.
De um terminado lugar.
            II
Quando andava na Escola,
não gostava de escrever,
agora com esta idade.
Escrevo até me perder.
           III
Escrevo direto e torto,
sem sinal de pontuação,
vou escrevendo o que sinto.
Dentro do meu Coração.
             IV
E quem não gostou de ler,
tem bom remédio afinal,
é só passar os olhos.
E dizer isto ,está mal.
felizarda drumond faustino 21/ 06/2016